(61) 98428-0472

[email protected]

O que é o implante dentário?

Implante é uma das formas mais modernas para repormos um dente perdido. Ele é composto de um parafuso de titânio inserido cirurgicamente no osso e uma coroa (novo dente) encaixada a esse parafuso. Esse conjunto age como um dente na função de mastigação e também esteticamente.

Há os tipos de implante de carga tardia e implante de carga imediata, e ambas situações só podem ser constatadas no momento da cirurgia.

Em quais casos é indicado o implante?

O tratamento é indicado para regiões com dentes já ausentes ou em casos que o dente ainda será condenado.

Como é feito o tratamento para implante?

O primeiro passo do implante consiste em um pequeno corte na gengiva. Assim, o dentista tem a possibilidade de acessar a região onde o implante será colocado.

Depois, o osso é perfurado para expandir o local na boca onde ficará o implante.

Assim, o implante é inserido na boca e é colocada uma tampa de proteção para cicatrização.

Ao fim de todo o procedimento, uma coroa (novo dente) é encaixada a esse parafuso.

Osseointegração - Implante

Contra indicações para o implante

A contra indicação do implante dentário ocorre em casos com problemas sistêmicos (pressão alta descontrolada, diabetes descompensada, entre outros) que afetariam qualquer tipo de procedimento cirúrgico ou a impossibilidade de inserir os implantes (por ausência de osso na região, qualidade pobre de osso ou qualquer outro agravante com relação à base óssea).

Mas nos dias de hoje contamos com terapias regenerativas que podem possibilitar a cirurgia de implantes:

  • Enxertos ósseos;
  • Enxertos gengivais;
  • Levantamento do seio maxilar (em casos onde o seio maxilar impede a aposição do implante);
  • Dentre outros.

 

Rejeição ou perda do implante

O implante é feito de titânio (material biocompatível com nosso corpo), e a cirurgia ocorre com toda a proteção contra contaminação.

Dessa forma, o risco de rejeição chega a praticamente zero. Já a perda do implante pode acontecer. Para que ele fique fixo ao osso, é preciso que aconteça um processo chamado osseointegração, onde haverá a formação de osso intimamente próximo às roscas do implante. Tal efeito demora em torno de 60 dias para formação total de osso.

Exemplo de como é feito um Implante

Riscos durante a cirurgia para colocação do implante

Os riscos durante a cirurgia para colocar o implante são muito pequenos.

Por se tratar de pequenos cortes e pequenos acessos ao osso, o risco de hemorragia é baixíssimo.

Antes da cirurgia, o paciente deve relatar ao dentista todos os medicamentos que faz uso e também qualquer problema de saúde atual ou que enfrentou anteriormente.

Desta forma, todos os riscos serão amenizados e controlados. Algumas medicações podem ser prescritas previamente a cirurgia e outras podem ser suspensas para sucesso do procedimento.

Em pacientes tabagistas, o implante dentário e o tempo de cicatrização podem ficar comprometidos, pois os elementos químicos encontrados no cigarro, como o monóxido de carbono, agem nas células dificultando a oxigenação sanguínea.

Em alguns casos, a cicatrização natural poderá não ocorrer adequadamente devido à alteração do funcionamento das células.

Reabilitações sobre implante

Prótese unitária sobre implante: sobre um parafuso é colocada a coroa do dente que será reposto. Nesse caso, o paciente ainda tem outros dentes naturais na boca.

Reabilitação sobre implante - Prótese unitária

Prótese múltipla sobre implante: sobre mais de um parafuso são colocadas as coroas dos dentes que serão repostos. Também nesse caso, o paciente ainda tem outros dentes naturais na boca.

Reabilitação sobre implante - Prótese múltipla

Protocolo: é para os casos onde o paciente não tem mais nenhum dente em alguma das arcadas (ou nas duas). Após a inserção dos implantes, uma prótese com dentes unidos será parafusada sobre esses implantes, ficando fixa na boca.

Protocolo de implante

Controle: é muito importante relembrar que, após concluído o tratamento (cirurgia, cicatrização e colocação das próteses), o paciente deve comparecer ao consultório do dentista para consultas periódicas para avaliação e higienização.

A periodicidade desses retornos será combinada juntamente ao dentista. Caso o paciente não faça esse acompanhamento, ele poderá sofrer problemas nos implantes, levando até a perda dos mesmos.

 

Recomendações pós-cirurgia de implante

Depois de passar pela cirurgia de implante dentário, o paciente deve se manter em repouso absoluto nas primeiras 48 horas após o procedimento para que evite qualquer sangramento.

Depois disso, as atividades leves cotidianas podem ser restabelecidas, mantendo-se fora os exercícios físicos e qualquer outro esforço. Essas atividades poderão ser retornadas em 7 dias.

Nesse primeiro momento (48 horas pós), a alimentação deve ser fria ou gelada, líquida ou pastosa, de preferência sem resíduos, como arroz e farofa, pois podem impactar na ferida cirúrgica e atrapalhar o processo de cicatrização devido à inflamação provocada.

É necessário fazer compressas de gelo, evitar bochechos (bochechar estimula o sangramento), higienizar com muita cautela e também tomar a medicação prescrita rigorosamente.

Após essas primeiras 48 horas, a alimentação pode se tornar consistente e em temperatura morna. Até o retorno ao dentista para remoção dos pontos, deve-se tomar a medicação prescrita e também fazer uma boa higienização bucal.

Vale ressaltar que a mastigação deve ser feita do lado oposto onde realizou-se a cirurgia. Caso tenha sido feita em ambos os lados, o paciente deve manter dieta líquida ou pastosa até tirar os pontos da cirurgia.

Mitos sobre implante

Existe implante sem cortes?

Podemos observar em muitos anúncios o procedimento de implante sem cortes. Isso é um mito.

A tecnologia atual possibilita fazermos uma cirurgia guiada através de planejamentos e estudos feitos previamente, dessa forma o procedimento é feito direcionadamente em cada paciente.

Porém, não é possível realizar a inserção do parafuso do implante sem romper a barreira protetora que fica em volta do osso: a gengiva.

Por ser uma cirurgia planejada, o dentista saberá exatamente onde fazer o corte e não precisará fazer uma grande ferida cirúrgica. Mas há cortes sim! Pequenos, mas existirão.

Meu dente quebrou, preciso extrair e fazer implante?

Não necessariamente. Dependendo da forma que o dente quebrou, a raiz pode ou não ter sido comprometida. Caso tenha comprometido, a indicação é de extração e colocação de implante.

Perdi meus dentes há muito tempo e não tenho mais osso. Não posso colocar implantes?

O fato de não ter osso na região sem dentes não exclui a possibilidade de colocação de implantes.

Porém, o paciente deverá passar por procedimentos prévios de enxertos ósseos para adequar o local para receber os implantes.

Coloquei implantes, agora não preciso mais me preocupar com cárie ou com escovação.

Grande erro! Coroas e implantes podem não sofrer lesões de cárie, mas podem ter uma doença chamada peri-implantite.

Estágios da Peri-implantite

Esta doença se assemelha à periodontite, onde as bactérias presentes na placa bacteriana causam reabsorção óssea, levando assim a perda da sustentação do parafuso intra ósseo.

Quero Agendar uma Consulta
Dúvidas ou deseja agendar consulta? Fale conosco